Luz de tope, quando usa-la.                                   (Por Plínio Fasolo)

Já há alguns anos venho observando uma prática irregular na navegação noturna de barcos a vela: utilização da luz de tope do mastro junto com as luzes de navegação. Pensava ser uma transgressão voluntária. Como os indivíduos que não usam cinto de segurança durante o tráfego em cidades por não acreditarem na sua utilidade. Alguns, embora sabendo que estão cometendo infração, chegam a debochar dos que usam. Muitas vezes, para burlar a lei, passam o cinto sobre os ombros, mas não afivelam.

Ontem, saí à noite para navegar. Estava uma noite bem escura, sem Lua e sem estrelas. De repente observei na minha proa dois pares de luzes brancas e cada par formado por uma luz baixa e outra alta. Não demorei muito para perceber que se tratava de dois veleiros que navegavam praticamente no mesmo rumo que eu, um deles mais distante e o outro nem tanto.  Pensei que estava, mais uma vez, presenciando uma dupla de transgressores rebeldes. Foi quando ouvi pelo VHF, no canal 16, o seguinte diálogo:

- José!... Estás com a luz do tope queimada, ou esqueceste de ligá-la?

- Nada disso. Ela está ligada e eu estou bem na tua popa, por quê?

- Porque estou vendo dois barcos na minha popa e um deles está só com as luzes de navegação ligadas, sem luz de tope.

- Eu já tinha visto. Ele está mais atrás. No rio não há “azuizinhos” para multá-lo. Vamos para o canal 12.

Claro que o barco que navegava sem luz no tope era o meu.  Tive vontade de contatá-los pelo rádio para dizer-lhes que os errados eram eles, mas não era hora de comprar uma briga.

Melhor é fazer uma campanha de esclarecimento para aqueles que não tiveram tempo de se informar sobre as regras internacionais (RIPEAM) de navegação noturna.

Por enquanto posso lembrá-los de algumas regulamentações importantes:

Luz de tope de mastro é branca, visível 360° no entorno da embarcação e só deve ser utilizada quando o barco está fundeado e sem qualquer outra luz de sinalização ligada.

Luzes de navegação são três: verde, visível pelo boreste; vermelha, visível pelo bombordo e branca (alcançado) visível pela popa.

Um veleiro também pode portar a luz de motoração para ser utilizada quando o veleiro está sem velas e navegando somente a motor. É uma luz branca colocada a meia altura do mastro, em sua parte dianteira, só podendo ser observada pelo campo de visão da proa, portanto, não visível pela popa. É aconselhável verificar no RIPEAM os ângulos do campo de visão dessas luzes.

http://www.nautica.com.br/colunas/imagens/2005112137.jpg Veleiro navegando a motor _____________________________________________________________________________

Velejando:

                                   

Para a direita.                                     Vindo de proa a pano.                         Para a esquerda.

                                    

Vindo de proa a motor.                    Fundeado.                                          Visto pela popa.

Portanto, seja a motor ou a pano, não navegue com a luz do tope acesa em nenhuma hipótese. Ligue-a somente após ter desligado as luzes de navegação estando fundeado.

e-mail: pliniofasolo@gmail.com