O caçador de meteoros
(Plínio Fasolo)

Definições do "Dicionário Universal da Língua Portuguesa":

Meteoro : do Gr. metéoros, elevado no ar
s. m.,
-qualquer fenómeno atmosférico (estrela cadente, raio, etc.);
-pequena partícula proveniente do espaço que, ao penetrar na atmosfera terrestre, se torna incandescente com o atrito, ficando visível durante um curto intervalo de tempo;
(fig.),
-aparição deslumbrante mas efémera;
-estrela cadente.
Meteorito
s. m.,
fragmento mineral encontrado no solo, caído dos espaços siderais.

Um caçador de meteoros é diferente de um caçador de meteoritos. Este último faz um trabalho semelhante ao de um geólogo. Caminha muito, carrega ferramentas de escavação e martelo de ponta. Já o  primeiro se assemelha mais a um poeta, um artista fotógrafo , observador das belezas de um céu estrelado. Não caminha muito, apenas o suficiente para se afastar da iluminação das cidades. Seu principal instrumento é uma máquina fotográfica, das antigas, montada sobre um tripé. Consulta o calendário dos eventos denominados “chuvas de meteoros” e, nas datas indicadas, instala o seu acampamento num local aprazível para tornar a sua vigília de espera a mais agradável possível. Então aponta a objetiva da máquina para a constelação que define o local de onde os meteoros irão surgir. Aciona o disparador programado para longos tempos de  abertura e deixa o filme exposto por intervalos de tempo que variam de 5 min a 1h .
Os eventuais meteoros que surgirem durante o tempo de exposição do filme deixarão registrados na foto os riscos luminosos de suas trajetórias. Dificilmente aparecerá  no céu mais de um risco de meteoro simultaneamente. Porém, numa mesma foto, poderão aparecer os traços de todos os meteoros que cruzaram o  campo de céu visado pela câmara  durante o longo tempo de exposição do filme. 
 Logicamente, devido à rotação aparente da esfera celeste, as estrelas de fundo também deixarão traços luminosos nas fotos. Os traços deixados pelas estrelas serão sempre paralelos entre si. Já, os riscos luminosos deixados  pelos meteoros geralmente cortarão os traços das estrelas e, se forem originados de uma “chuva de meteoros” , suas trajetórias serão radiais , como se todos eles surgissem de um único ponto do céu. Esse ponto chama-se “radiante”.
A imagem abaixo mostra como o jornal Zero Hora (RS) divulgou a notícia da última "chuva de meteoros" (novembro 2001) ocorrida. Na foto, de aproximadamente 5 minutos de exposição, aparece o risco deixado por um meteóro. 
 

Chuva de Meteoros?  ... Gato por Lebre
(Plínio Fasolo)

       A desinformação muitas vezes é responsável pela disseminação de falsos conceitos sobre fenômenos da natureza. Certamente, o leigo que observou a fotografia e a notícia reproduzida a baixo e amplamente divulgada pelas principais revistas semanais nacionais, em 2000, pensou que aqueles curtos traços paralelos de luz que aparecem na referida foto fossem meteoros caindo com a profusão de uma verdadeira chuva de estrelas. Na realidade a foto apenas mostra um céu estrelado. Nenhum meteoro ! Apenas as estrelas do céu que, devido ao movimento de rotação da Terra , deixaram traços luminosos sobre o filme que ficou exposto durante certo intervalo de tempo. Em 2001 a "coisa" se repete. De nada adiantou o e-mail enviado à revista reclamando por uma informação fotográfica mais correta. ( A foto não mostra meteoro algum).
Voltar

 
<< voltar